Diretor da Chapecoense elogia Palmeiras por ajuda em reconstrução do time

“Escolham os que lhes agradam e nós veremos a disponibilidade”, disse dirigente do clube paulista aos catarinenses

A tragédia que vitimou 19 jogadores e toda a comissão técnica da Chapecoense, em 29 de novembro, fez com que os dirigentes remanescentes começassem a trabalhar, dia e noite, em busca de novos reforços. A ideia é recompor o time o quanto antes, para a disputa do Campeonato Catarinense, da Primeira Liga e da Copa Libertadores da América, no início de 2017.

Todavia, a Chapecoense não abre mão de escolher os atletas que quer em seu elenco para o ano de 2017. Por mais que diversas equipes brasileiras tenham oferecido jogadores para empréstimo sem custos, somente uma equipe foi digna de elogios para o time de Chapecó: o Palmeiras.

Partida disputada entre Palmeiras e Chapecoense, em novembro deste ano - a última do elenco morto no acidente na Colômbia
Partida disputada entre Palmeiras e Chapecoense, em novembro deste ano – a última do elenco morto no acidente na Colômbia

Em entrevista ao UOL, o dirigente João Carlos Maringá disse que as equipes só oferecem atletas dos quais estão querendo se “livrar”. Citou, nominalmente, o Santos, mas afirmou que outros clubes tomaram a mesma atitude.

“O Santos disponibilizou uma lista de atletas, mas são aqueles que eles não querem mais. Essa lista está na internet, é só procurar. Outros clubes também nos ofereceram da mesma maneira, mas nós não abrimos mão de escolher nossos jogadores”, disse.

MAIS
Neto, da Chape, só não ficou paraplégico porque foi salvo por uma placa de 48 milímetros

De acordo com Maringá, o Palmeiras portou-se diferente dos demais clubes. “O Palmeiras foi o único que abriu uma lista de jogadores e nos falou: ‘Escolham os que lhes agradam e nós veremos a disponibilidade'”, afirmou.

Cinco reforços estão acertados com a Chapecoense, apesar de não ter ocorrido, até agora, nenhum anúncio oficial; São eles: o goleiro Elias, o zagueiro Douglas Grolli, o volante Moisés, o meia Dodô e o atacante Rossi.

MAIS
Roberto Cabrini vai a local de acidente da Chapecoense e mexe nas malas dos mortos

João Carlos Maringá reforçou que a Chapecoense não abandonará seus ideais, nem seu estilo de jogar ou de gestão. Por isso, os atletas para a equipe de 2017 serão bem escolhidos. “Podem ter certeza de que nosso trabalho será realizado com responsabilidade e honra. Agora é hora de honrarmos as pessoas que se foram e fazer um trabalho ainda melhor. Talvez não iremos conseguir o nível que existia, mas a nossa missão è honra-los”, disse Maringá.

Comente com o Facebook

comentários